• NOTÍCIA

Rejeição a Bolsonaro é de 83% entre LGBTs, mostra Datafolha

Ex-presidente Lula (PT) tem 68% da intenção de voto entre homossexuais e bissexuais, 59 pontos de diferença para Bolsonaro


O presidente da República, Jair Bolsonaro fala à imprensa no Palácio da Alvorada. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

4 jan. 2022 | Redação


Gays, lésbicas e bissexuais são os grupos de maior rejeição ao presidente Jair Bolsonaro (PL), de acordo com a pesquisa Datafolha de intenção de voto para as eleições de 2022. Entre eles, o índice de quem não vota em Bolsonaro de jeito nenhum é de 83%.


No levantamento, realizado em dezembro de 2021, foram entrevistadas 3666 pessoas de todo o país, com idade a partir de 16 anos. Dos participantes, 84% se declararam heterossexuais, 3%, homossexuais, e 5%, bissexuais. Mais 1% disse ter outras orientações sexuais e 4% não quiseram ou não souberam responder a essa pergunta. Não há pergunta sobre identidade de gênero.


Segundo o Datafolha, além de homossexuais e bissexuais, outros três grupos entre os quais há alta rejeição a Bolsonaro são os jovens, os nordestinos e os pretos. Em cada um deles, 67% responderam que “não votariam de jeito nenhum” no atual presidente.


O resultado da pesquisa mostrou também que o ex-presidente Lula (PT) lidera as intenções de voto para 2022, com 48%, seguido de Jair Bolsonaro (PL), com 22%. A vantagem do petista em comparação ao capitão reformado é de 59 pontos entre os eleitores homossexuais e bissexuais: Lula tem 68% contra 9% de Bolsonaro.


A primeira vez que o Datafolha incluiu orientação sexual no questionário de intenção de votos foi em outubro de 2018, durante o segundo turno das eleições presidenciais. Fernando Haddad (PT) tinha 57% de apoio daqueles que se declaram homossexuais, bissexuais e de outras orientações sexuais que não a heterossexual. O adversário dele, Jair Bolsonaro, tinha 29% de votos entre o grupo.